“No primero semestre de 2002 será inaugurada a nova sede da Santa Casa de Dili
A novíssima Misericórdia de Dili está prestes atender os jovens e idosos mais necessitados. As installações astão praticamente prontas e, para tal, foi fundamental o poio de todos os portugueses. Mais do que uma obra, ergue-se uma marca da Lusafonia, independentemente de o País vai ou não aderir a Commonwealt, se a língua portuguesa será ou não adopteda como oficial para a Nação, se Portugal será ou não um parceiro privilegiado de Timor. O importante são raízes. Feliz como avançao da nova Miseriícórdia de Dili está o seu maior dinamizador, o Dr. Rui Silva, vice-Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Arruda dos Vinhos, contando sempre como apoio da União das Misericórdias Portuguesas e com o empenho pessoal do padre Vítor Melícias.
Sinai da portugalidade […]
Encontros e desencontros
Rui Silva vê com agrado as marcas que Portugal continua a erguer em Timor. Durante aquele primeiro incontro, entregámos-lhe o livro “A Rainha D. Leonor e as Misericórdias Portuguesas”, da autoria do nosso director, Dr. Manuel Ferreira da Silva, e ainda um cartaz com a ilustração da bandeira da Santa Casa da Misericórdia de Goa, em que está representada a Senhora das Misericórdias, cobrindo com o seu manto todas as classes sociais . Segundo o Dr. Ferreira da Silva uma das figura o filho mais novo do Regulo Alexio, o último rei de Timor, homen que preferiu deixar-se fuzilar embrulhado na bandeira portuguesa , sob o fogo da tropas japonesas, do que renunciar á sua nacionalidade lusa.
[…]
Solidariedade portuguesa
Mas souberemos o que se está a passar,quer através do próprio Rui Silva, quer através do bispo de Dili, D. Ximenes Belo. Foi este quem nos contou o seu empenho em indicar a Confraria de São Vicente de Paulo para tornar a fundação da Santa Casa uma realidade,depois de ter conversado com o padre Vítor Melícias . Com agrado, o prelado contou-nos que, um anodepois de erecção da Misericórdia, lhe coube a honra de fazer andar á roda os números da sorte do primeiro sorteio promovido pela institução. O administrador apostólico de Dili; o número dois da força defesa de Timor – leste coronel Lere; o comandante do bataglhão português de Timor- leste coronel Fernando Figueiredo; e o número dois dos observadores militares, o brasileiro coronel Braldo, agarraram nas rodas numeradasd e coloridas e lá fizeram sair o número da sorte, o 0318. Ficámos tambén a saber que a Santa Casa fique com a concessão da lotaría, tal como acontece em Portugal com a Misericórdia de Lisboa.
De acordo com Rui Silva, a Misericórdia de Dili está a contar como apoio de comunidades portuguesas. O Santuário de Fátima enviou 12 mil contos. Os açorianos enviaram 47 mil. Da comunidade portuguesa na Africa do Sul seguiram seis mil contos. O comissariado portugués para a trasmição de Timor leste contribuiu também com mil contos, para além de todo o empenhamento pessoal do comissarío e presidente da União da Misericórdias Prtuguesas, padre Vítor Melícias.
Realidade em 2002
A inauguração da nova sede da Santa Casa da Misericórdia está prevista para o primeiro semestre de 2002, o que constituiu um marco histórico no projecto de reforço da sociedade civil em Timor, e em particular no distrio de Dili. Numa primeira fase, a Misericórdia vai dispensar apoio ás crinças pobres a carenciadas com recholta a partie do zero aos sete anos de idade, atráves da criação de estruturas de creche e jardim de infância. A estas cianças será dispensado apoio de alojamento, se necessário, alimentação e princípios báasicos de educação de entrada no ensino báasico.
O quadro de pessoal previsto de oito educadoras de infância, 16 auxiliares de infância, pessoal administrativo e auxiliar de logística. As acções de formação deste pessoal já tiveram o seu início como o apoio de uma tcnica da CIDAC.
Na segunda fase preve-se a ciação de um lar de Terceira Idade. O edifício, a construir na zona de Taibesse cuja cerimonia de lançamento de primeira pedra teve lugar no dia 14 de abril, inclui oito salas se acolhimento e formação, gabinetes de apoio , sanitários e chuveiros, infra-estruturas de logística e sede social da instituição, num espaço de área coberta de 800 metros quadros. O espaço verde envolvente, destinado ás zonas lúdicas e de recreio tem uma area aproximada de 1200 metros quadros. Os custos de obra estão estimado em 64 mil contos, mais o valor do equipamento.”

Fonte: http://www.confraterniteoggi.it/N8/misericordia.htm

Anúncios