A antiga morgue e casa de velórios do Hospital de Vila Franca de Xira estão transformados num moderno gabinete de medicina legal equipado para realizar autópsias e exames periciais com a participação de especialistas em qualquer parte do mundo. O sistema de vídeo-conferência com recurso a câmaras e microfones vai permitir ao médico legista e restantes técnicos trocar impressões com um perito que esteja numa faculdade, numa cínica, num hospital ou noutro local onde seja possível aceder a um computador. Desta forma poupa-se tempo e dinheiro com deslocações e pagamentos de honorários.

O gabinete anunciado pelo Ministério da Justiça em 2005 está pronto há vários meses, mas falta o pessoal para lhe dar vida. O coordenador foi nomeado e a tutela está a preparar um concurso interno para recrutar técnicos e administrativos. Dada a natureza das funções, não será fácil, e a maior dificuldade está no facto de o ministério ter de recorrer a um concurso interno porque não é permitido abrir novas vagas na função pública.

A abertura do gabinete está dependente da vontade de alguns funcionários pedirem a transferência para Vila Franca de Xira.

Enquanto o gabinete não entra em funcionamento, os corpos dos falecidos são enviados para o Instituto de Medicina Legal de Lisboa, situação que provoca atrasos na realização dos funerais e despesas acrescidas para as famílias. O gabinete vai servir as comarcas de Alenquer, Azambuja, Benavente Vila Franca de Xira e Arruda dos Vinhos que envolvem uma população total de mais de 200 mil pessoas. Neste gabinete será permitido fazer também exames com vivos a pedido dos tribunais para confirmar agressões, violações, abuso sexual e outros tipos de crimes contra a integridade física.

Segundo o secretário de Estado Adjunto da Justiça, este equipamento “vai permitir ao serviço ter melhor qualidade e também ajudar nas investigações criminais”. Conde Rodrigues anunciou no último Congresso da Medicina Legal, em Novembro, a criação de 25 gabinetes médico-legais ligados em rede até 2008. Depois da Figueira da Foz serão abertas cinco novas unidades, entre as quais, Vila Franca de Xira. O secretário de Estado frisou que com esta medida o Estado consegue uma poupança “significativa”.

Fonte: http://semanal.omirante.pt/index.asp?idEdicao=272&id=31806&idSeccao=3796&Action=noticia

Anúncios