A Feira Taurina de Arruda dos Vinhos encerrou com um mano-a-mano entre António Ribeiro Telles e Vitor Ribeiro perante um concurso de ganadarias, onde os toiros deram comportamento desigual, a saírem para o mansote, com algum sentido, a acusarem os seis e sete anos ostentados por algumas divisas, e a exigirem muito dos cavaleiros e forcados em praça.

A António Ribeiro Telles couberam os melhores momentos da noite, numa prestação sempre a crescer, iniciando-se na primeira lide com um Lopes Branco que se viria a “rachar” após a primeira série de curtos com o “Pintor”. O seu segundo toiro pertenceu à ganadaria Vinhas e revelou-se distraído, com o cavaleiro da Torrinha a realizar uma lide plena de maestria, a interessar o oponente na garupa de forma templada para de seguida deixar uma correcta série de curtos com o “Piri-Piri”. Contudo, foi ao quinto toiro, o melhor de toda a noite e que viria a vencer o prémio em disputa, que António alcançou o êxito, tendo no “Paquirri” a chave para o triunfo, em ferros emocionantes à meia volta e em terrenos cambiados, com o toiro de Pontes Dias a vir a mais.

Mais dificuldades teve Vitor Ribeiro para levar de vencida a sua “batalha” diante toiros complicados e exigentes, valendo a entrega e o valor do cavaleiro. Os seus três toiros, de António Silva, Conde Cabral e Varela Crujo, tiveram comportamento muito semelhantes. Distraídos, incertos nas investidas e com sentido durante as reuniões, com realce para o último, um toiro de sete anos, perigoso e violento, a que Ribeiro conseguiu resolver, e bem, a papeleta com o “Nicotina”.

Noite bastante dura para a Forcadagem, a sentirem na pele as violentas investidas destes trabalhosos toiros. Pela Chamusca pegaram, o cabo Nuno Marques, à quarta, Pedro Henriques, à segunda, e Márcio Duarte, na pega da noite à primeira tentativa. À semelhança do primeiro grupo, o cabo Pedro Espinheira viria a abrir praça à segunda tentativa, João Fialho fechou-se à terceira, e Telmo Salgueiro encerrou a noite de forma “heróica” à terceira após dobrar João Espinheira que se lesionou na primeira tentativa, diante um violento e poderoso toiro de sete anos e a rondar os 600 kg.

O prémio para melhor toiro foi ganho pelo oponente de Pontes Dias, com os restantes a serem reservados, com investidas incertas para os cavaleiros. O de Lopes Branco também resultou manejável, mas veio a menos após os primeiros curtos.

Direcção acertada de Ricardo Pereira com assessoria veterinária do Dr. Salter Cid perante ¾ de entrada, neste que viria a ser último festejo da Feira Taurina de Arruda dos Vinhos 2007.

Fonte: http://www.tourobravo.com/cronicas/2007/arrudadosvinhos4.html

Anúncios