A aficionada vila de Arruda dos Vinhos, a viver um fim-de-semana com o seu quarto bolsin da Fundação José Alberto Faria – no qual decorreram conferências, aulas práticas e outros espectáculos – assistiu ontem a uma grande novilhada, a que só faltou mais público.

Ainda assim, Patrick Oliver, de Nimes, França, José Arévalo de Valência (Espanha) e o português Manuel Dias Gomes tiveram excelentes actuações perante novilhos muito bem apresentados das ganadarias Palha e Murteira Grave, mas o triunfo acabou por sorrir ao português, que rubricou duas actuações muito bem conseguidas. José Arévalo distinguiu-se e mostrou ser um matador com futuro, mas o francês Patrick Olivier revelou-se menos rodado. Pedro Reinhardt dirigiu a novilhada sem quaisquer problemas.

O espectáculo terminou com a lide de um toiro Vitorino a cargo de Nuno Casquinha, que substituiu o matador Luís Procuna, lesionado com uma luxação na mão e no pulso direito.