O 1.º Fórum do Puro Sangue Lusitano na Dressage realizou-se entre os dias 30 de Outubro a 1 de Novembro, em Arruda dos Vinhos.

Fruto de uma parceria entre a Academia Dressage de Portugal e a Universidade Lusófona, este fórum contou com o reconhecimento da APSL e a presença de reconhecidos especialistas internacionais. “Da Antiguidade à Conquista Olímpica, o Cavalo Lusitano na Competição Internacional de Dressage no início do século XXI” , foi o tema do evento.

Para Bruno Caseirão, um dos organizadores, a primeira edição foi um sucesso “tivemos uma verdadeira enchente e foi na verdade um fórum muito internacional com uma numerosa comitiva da Austrália e Estados Unidos da América, do Brasil, Espanha, França. Luxemburgo, Bélgica, Suíça, Reino Unido, África do Sul… penso que não me estou a esquecer de nenhum. Muitos dos participantes no fórum eram eles próprios “personalidades” no universo do Cavalo Lusitano, assim tivemos os presidentes das associações australiana e espanhola do Cavalo de Puro Sangue Lusitano, dois dos maiores criadores de Lusitanos no Brasil, além de uma série de criadores, treinadores e cavaleiros sobretudo internacionais.”

Neste Fórum, foi possível concluir:

1. A importância atribuída por todos à criação e destaque do Cavalo Lusitano na Dressage.

2. Embora se trate de um studbook fechado, a raça tem uma diversidade genetic que permite a selecção para o ensino de competição.

3. A saúde e bem-estar são excelentes mas devem ser monitorizados constantemente.

4. A comunicação entre as partes envolvidas, criadores (APSL e FAR), cavaleiros, proprietários, treinadores e ainda as Federações Nacionais deve ser melhorada.

5. Através de um treino correcto e sistemático, ou seja, seguir a Escala Básica de Treino, permitirá ao Cavalo Lusitano mostrar o seu enorme potencial na Dressage.

O Painel de Discussão e Oradores foi composto por Mariette Withages, Professor Hilary Clayton, Professor Artur da Câmara Machado, Paulo Caetano, Bento Castelhano, Bruno Caseirão, Carlos Lopes, Daniel Pinto, João Pedro Rodrigues e Francisco Cancella de Abreu.

Advertisements