Região habitada desde a época romana, teve um papel importante na organização das Linhas de Torres, que serviram de obstáculo às invasões Francesas no início século XIX.

Com uma forte tradição vitivinícola, esta zona apresenta um relevo suave, com elevações separadas por vales largos, e um clima temperado de características mediterrânicas.

As principais castas cultivadas permitem a obtenção de vinhos tintos de grande reputação, cuja qualidade é realçada com o envelhecimento, e de vinhos brancos leves e aromáticos

Arruda é um nome comum latino (Ruta-Ae) tornado próprio arabizado, pela anteposição do artigo definido árabe “Al”, cujo “L” se assimilou ao “R” inicial do substantivo por ser a última letra “solar”. A forma Latina-Árabe, Ar-Ruta, a Arruda quanto ao seu sobrenome “dos Vinhos” tem origem nos extensos vinhedos circundantes. A data de fundação do Concelho terá sido por volta de 1160.

Uma carta de D.Fernando de 1369 dá conhecimento que a Ordem de Santiago seria o Senhorio da Vila. Esta Ordem compunha-se de frades leigos e frades clérigos. Era uma Ordem monástico-militar, principal elemento de defesa dos primeiros reis, ajudando na conquista do reino. De constantemente solicitado para combate, resultou na necessidade de viverem, também em comunidade, as esposas dos cavaleiros leigos, durante a sua ausência.

Arruda teve o primeiro recolhimento desta Ordem, um mosteiro muito perto da Vila, como se prova em documentos existentes datados de 1255. Aqui se conservaram as freiras até ao reinado de D.João II (segunda metade do sec. XIII), data a partir da qual vão residir para o Convento de Santos em Lisboa.

A cultura da vinha têm-se mantido em Arruda no decorrer dos séculos e os seus famosos vinhos foram exportados nomeadamente para França, Inglaterra e Brasil.

A natureza, a situação dos terrenos, as condições climáticas, as castas cultivadas e o esmerado cultivo, conduzem à produção de uvas com o especial merecimento de imprimir uma distinção de qualidade aos vinhos da região.

O consumo e a atracção do vinho dependem fundamentalmente da qualidade, pelo que a região de Arruda naturalmente dotada com aptidões vinícolas e seculares tradições, não poderia deixar perder tão valioso capital, nem deixar de procurar uma protecção económica.

Foi com este objectivo que um grupo de viticultores tomou a iniciativa de fundar a Adega Cooperativa de Arruda dos Vinhos, cujo titulo de constituição foi lavrado em Dezembro de 1954.

A área geográfica correspondente à Denominação de Origem Controlada “Arruda” abrange os concelhos de Arruda dos Vinhos, Sobral de Monte Agraço (parte da freguesia de Santo Quintino) e Vila Franca de Xira (parte das freguesias de Cachoeiras, Calhandriz e São João dos Montes).

Fonte: http://carlosabr.blogspot.com/2009/11/arruda-doc.html?zx=9f70064aca1b5251