A Assembleia Municipal de Arruda dos Vinhos, na sua sessão de 29 de Dezembro, aprovou por maioria, com os votos favoráveis do PSD e da CDU, uma Moção sobre a situação médica no concelho. A situação anómala decorre da saída de quatro médicos nos últimos dois anos e do pedido de aposentação de outro, o que deixará a Unidade de Cuidados Personalizados de Saúde apenas com um médico para atender 11 mil utentes. A Moção aprovada será endereçada às entidades competentes tendo em vista a resolução do problema sentido pela população.

Texto da moção:
“Considerando que:
No Município de Arruda dos Vinhos existem cerca de 11.000 utentes inscritos na Unidade de Cuidados Personalizados de Saúde dos quais cerca de 2.000 já não tinham médico de família;
No ano de 2008, pediu exoneração da função pública a Dra. Joana Melo (ficando cerca de 1750 utentes sem médico);
Em Outubro de 2009, saiu a Dra. Filomena para a USF de Santo António dos Cavaleiros (ficando mais 1750 utentes sem médico);
Em Dezembro de 2009, saiu a Dra. Fátima Rabaçal para a USF do Forte da Casa (ficando mais 1800 utentes do ficheiro da Dra. sem médico acrescidos de todos os utentes sem médico inscritos na extensão de Arranhó);
A Dra. Emília Palhinha já apresentou o pedido de aposentação (quando deferido ficarão mais 1800 utentes sem médico);
Em Janeiro de 2010, o Dr. José Afonso integrará a USF do Forte da Casa, deixando mais 1600 utentes sem médico da família;
A própria Dra. Lídia Luís, encontrando-se aposentada, não tem ficheiro atribuído;
Perante todos os dados acima referidos ficará a referida Unidade de Cuidados Personalizados de Saúde apenas com um médico para assistir a todos os utentes do concelho;
A época de Inverno é propícia a maiores deslocações à Unidade de Cuidados Personalizados de Saúde devido a surtos gripais e outros;
Todas as indicações recebidas devido ao surto de Gripe A, que obriga a uma maior disponibilidade médica;
 
Assim sendo, o Grupo Municipal propõe que o quadro médico do Centro de Saúde de Arruda dos Vinhos, incluindo a sua extensão de Arranhó, seja preenchido por médicos por forma a fazer face às necessidades dos utentes do nosso concelho.

Mais propõe, que a presente Moção seja enviada às entidades competentes, nomeadamente, ao Sr. Presidente da Assembleia da República, à Sra. Ministra da Saúde, aos Líderes dos Grupos Parlamentares com assento na Assembleia da República, ao Presidente da ARS-LVT e ao Director-Executivo do ACES Oeste Sul II.”

Fonte: http://www.destakes.com/redir/fee460912644f5446d40959033f0b4d3