Lisboa (Do enviado especial) – As técnicas de cultivo de uvas, transporte para as adegas e sua limpeza, extracção e engarrafamento do vinho, na zona oeste de Lisboa (Portugal), estão a ser constatados desde sábado por comerciantes angolanos.
 
Depois de ter visitado quatro sociedades vinícolas no sábado e hoje, domingo, a delegação empresarial angolana visita igual número de sociedades produtoras de vinho, todas elas com uma média de produção de mais de um milhão 500 mil litros/ano, para observar de perto todo o processo de produção de vinho com qualidade.
 
Durante as visitas, os participantes recebem explicações detalhadas sobre a origem da sociedade, a quantidade de hectares e de litros de vinhos produzidos, trocam experiências com os empresários lusos e participam de provas de vinhos.
 
Sábado, nas adegas e quintas por onde esteve, a comitiva angolana soube que alguns produtores da região de Lisboa desenvolvem a sua actividade na sua maioria em forma de cooperativa, com fundos comunitários e vindimam (colhem a uva) manualmente e com máquinas, como a Adega Cooperativa Arruda dos Vinhos.
 
Nas outras quintas visitadas, os seus gestores declaram que produzem de modo essencialmente orgânico, sem adubos, com vista a aquisição de vinhos gastronómicos, destinados mais a servir de complemento a comidas, segundo garantiu o engenheiro agrónomo da Quinta da Cortezia, Miguel Catarino.
 
Efectuam igualmente visitas à quintas e adegas de Lisboa, empresários russos, norte americanos e croatas, que foram, a semelhança dos angolanos, convidados pela Comissão Vitivinícola da Região de Lisboa (CVRL) a inteiraram-se da produção dos associados da CVRL.
 
O convite da CVRL é igualmente extensivo a participação das delegações estrangeiras no Salão Internacional do Sector Alimentar e de Bebidas (Sisab 2010), que decorrerá de 22 a 24 deste mês, em Lisboa.

Fonte: http://www.portalangop.co.ao/motix/pt_pt/noticias/economia/2010/1/7/Comerciantes-angolanos-constatam-tecnicas-producao-vinho,6a161c67-7c3a-411a-8ba5-82ec7ce256a0.html