Lisboa foi o concelho do país que mais perdeu poder de compra dos últimos dez anos. Em 2001, detinha 15,1 por cento do poder de compra de Portugal continental, mas o valor caiu um terço em 2011, para dez por cento, de acordo com o sistema de “Geomarketing Sales Índex” da Marktest.

Esta queda deve-se, segundo a consultora, à diminuição da população na capital e não a uma perda real de poder de compra dos habitantes. De acordo com o Instituto Nacional de Estatísticas (INE), a população lisboeta decresceu 15 por cento de 2001 para 2009. Lisboa está, por isso, prestes a perder o “título” de concelho mais populoso do país para Sintra, já que “apenas” 26 mil habitantes separam estes dois concelhos.

A Norte, o Porto segue a tendência de Lisboa, com o segundo maior decréscimo no índice de poder de compra: 30,1 por cento numa década. Há dez anos, a cidade invicta representava 5,25 por cento do poder de compra continental, contra os 3,6 por cento de hoje.

A causa apontada também incide sobre a queda populacional do concelho, ainda maior do que em Lisboa. Entre 2001 e 2009, houve uma queda de 20 por cento.

A contrariar a tendência das duas maiores cidades do país, estão os concelhos de Alcochete, Mafra e Arruda dos Vinhos. Alcochete, por exemplo, viu o índice crescer 48 por cento na última década.

A nível nacional, dos 278 concelhos do continente, 159 apresentaram uma subida no índice. Por outro lado, 109 registaram quedas e sete mantiveram o seu valor. Para os três concelhos restantes (Odivelas, Trofa e Vizela, criados em 1998), não existe informação disponível anterior a 2003.

O índice de poder de compra regional foi criado pela Marktest em 1980 e é actualizado anualmente. Permite observar a contribuição de cada concelho de Portugal Continental e é calculado com base em informação indicadora do potencial de rendimento e consumo de cada concelho, nomeadamente a população residente, a capitação de impostos, as vendas de automóveis, os consumos de electricidade, as dependências bancárias e os estabelecimentos comerciais.

Fonte: http://economia.publico.pt/Noticia/lisboa-e-porto-perdem-peso-no-poder-de-compra-do-pais_1491738