Tag Archive: 2010


– Praça de Toiros: José Marques Simões, em Arruda dos vinhos
– Data: 17 de Agosto de 2010, pelas 22.00 horas
– Empresa: Tertúlia “O Piriquita”
– Ganadarias: Pinto Barreiros, Vinhas, Conde de Cabral, António Charrua, Ruy Gonçalves e Herdade de Pégoras
– Cavaleiros: António Telles, Luís Rouxinol e Marcos Bastinhas
– Grupo de Forcados: Forcados Amadores de Santarém e Montemor, capitaneados por Diogo Sepúlveda e José Maria Cortes, respectivamente.
– Assistência: ¾ de casa
– Delegados da IGAC: Delegado técnico tauromáquico sr. António dos Santos, assessorado pelo médico veterinário Dr. Jorge Moreira da Silva.
Com organização a cargo da empresa Sociedade do Campo Pequeno, S.A., em conjunto com a dinâmica tertúlia “O Piriquita”, realizou-se mais um concurso de ganadarias em Arruda dos Vinhos, por ocasião das festas em Honra de Nª Sra. da Salvação. Cartel aliciante, constituído por duas das máximas figuras do toureio equestre português e um jovem à procura de afirmação. Para as pegas dois eternos e antigos rivais na arte de pegar toiros, em acesa, mas saudável competição.

Quanto aos toiros – talvez porque apenas disputassem o prémio bravura – eram díspares em apresentação e trapio. O exemplar vindo da ganadaria de Pinto Barreiros, com quatro anos e 480 Kg, era pequeno e sem trapio, com pouca força e impróprio para um qualquer concurso de ganadarias. Em termos de comportamento, teve mobilidade e colaborou na lide. A ganadaria Vinhas enviou um toiro também com quatro anos de idade, acusando na balança 530 Kg, com boa apresentação e que se mostrou reservado e de investidas suaves e sem apertar. O toiro de Conde Cabral, com quatro anos e 500 Kg, era de mau tipo, com a córnea muito fechada, um pouco escorrido de carnes e saiu manso encastado, a investir aos arreões, mas servindo para a lide. António Charrua levou um toiro com quatro anos e 620 Kg, de excelente apresentação e com trapio a condizer, mas que se revelou manso, a procurar tábuas, muito reservado e a esperar pelo cavaleiro. O toiro da Ganadaria do Engº Ruy Gonçalves, ferrado com o algarismo 5 na espádua direita e com o peso de 580 Kg, tinha excelente apresentação e trapio, doía-se ao castigo, era reservado e tapava-se no momento da cravagem dos ferros, adiantando-se muito às montadas. O último da noite, da Herdade de Pégoras, ferrado com o 5 na espádua e com 490 Kg, mostrou-se colaborante, com mobilidade, servindo bem para a lide. No final, o júri, constituído pelos próprios ganaderos, apesar da falta de bravura, atribuiu o prémio de toiro mais bravo ao exemplar da ganadaria de Pégoras, prémio contestado por grande parte do público.

António Ribeiro Telles esteve uma vez mais ao seu nível. No primeiro da noite, um toiro com pouca força e que não colaborava nas reuniões, deixou ferragem comprida algo traseira. Apenas o terceiro comprido resultou correcto em termos de colocação. Nos curtos, em sortes frontais e ao estribo, deixou quatro ferros de boa nota, sendo que o seu oponente não dava para mais. Já no segundo do seu lote, o mais pesado da corrida e um manso difícil de lidar, a lide do cavaleiro da Torrinha teve momentos de grande emoção, daqueles de fazer levantar as bancadas. Não foi, no entanto, nos compridos que tal aconteceu, com o primeiro a ser colocado às meia volta, sem citar e a cair, rectificando de imediato com a colocação de mais dois ferros de execução e colocação correctas. Nos curtos, com o toiro a fugir ao cavalo, negando-se a investir, o cavaleiro, sem qualquer intervenção dos seus subalternos, teve um trabalho de brega notável, indo buscar o toiro a tábuas, deixando-o em sorte e cravando de alto a baixo e ao estribo, com o toiro quase sempre a sair por cima da garupa do cavalo, em reuniões bem ajustadas e emocionantes. Quando o toiro já não saía de tábuas, optou por sortes sesgadas, mas de igual qualidade. Nota bem alta para os primeiro e quarto ferros, este em sorte a sesgo com reunião emocionante. No final da lide sofreu um forte toque na montada, depois de o toiro sair solto de tábuas, procurando fugir e apanhando o cavaleiro desprevenido, no momento em que se preparava para cravar.

Luís Rouxinol teve uma primeira lide de bom nível. Sempre de frente para o toiro na hora de cravar, deixou ferros em reuniões cingidas e como mandam as regras do toureio a cavalo à portuguesa, pese embora o toiro não emprestasse a emoção necessária nesses momentos. Rematou com vistosas piruetas na cara do toiro, sempre muito aplaudidas. Finalizou com um violino, um palmo a sesgo e um par de bandarilhas já sem toiro, o que o obrigou a duas passagens em falso antes de cravar. O quinto da noite, um toiro bem mais complicado, não permitiu ao cavaleiro de Pegões repetir o êxito que alcançou no seu primeiro. Optando por cravar com ligeira batida ao piton contrário, o toiro faltava debaixo do braço no momento de cravar, fruto do engano pronunciado. Rectificou, partindo de forma mais recta para o toiro, mas este adiantava-se e tocava na montada. Para levar os seus intentos por diante, teve que abrir o quarteio mais cedo para, assim cravar em sortes limpas e com correcção.

Marcos Bastinhas, ao lado de duas grandes figuras, não conseguiu estar ao seu melhor nível. Sempre a conduzir as montadas com as duas mãos nas rédeas, foi deixando ferros em viagens lateralizadas, com o quarteio muito aberto e algumas vezes já bem para lá do estribo. Nos ferros compridos da sua segunda lide andou bastante desacertado, com ferros a caírem e a falhar o toiro. No final da sua primeira actuação deixou um ferro curto e um de palmo em sortes de violino que foram muito aplaudidos pelo público.

Pelo Grupo de Forcados Amadores de Santarém abriu a noite Luís Sepúlveda, que citou com muita correcção, a andar bem para o toiro, mostrando-se e reuniu de forma correcta, para uma boa pega, bem ajudado pelo grupo e com o toiro a não complicar. Para a pega do terceiro da noite saiu João Brito, que aguentou bem o toiro e consumou uma muito boa pega à barbela, com o grupo mostrar coesão nas ajudas. A última pega do grupo foi executada por Manuel Roque Lopes, à 4ª tentativa, com o grupo em cima, sendo que na primeira saiu após o primeiro derrote do toiro, na segunda precipitou-se no cite e não recebeu da melhor forma, não conseguindo reunir e na terceira, com as ajudas mais carregadas não conseguiu agarrar-se. No final, num gesto de grande dignidade, não saiu para a volta, apesar da insistência do público, o que é de louvar.

O Grupo de Forcados Amadores de Montemor teve uma boa actuação, com três pegas ao primeiro intento. Para pegar o segundo toiro da noite saltou tábuas Frederico Caldeira, que citou com correcção, reuniu com impacto, fruto de não ter recuado com o toiro, aguentou bem os primeiros derrotes e consumou uma boa pega, com o grupo a ajudar bem. Filipe Mendes foi o escolhido para pegar o quarto da ordem, um toiro sério e difícil, que arrancou com muita pata mal avistou o forcado, que reúne bem, viaja até às tábuas, com entrada providencial do primeiro ajuda, aguenta fortes derrotes sozinho na cara do toiro, que foge ao grupo, que recupera bem, consumando uma grande pega já nos médios. No final duas voltas à praça merecidas, a primeira acompanhado do cavaleiro e do primeiro ajuda Hugo Melo. Para pegar o último toiro da corrida saiu António Vacas de Carvalho, que citou muito bem e, apesar de não reunir da melhor forma, consumou uma boa pega, sem que o toiro complicasse e bem ajudado pelo grupo.
O Mais e o Menos

+ O bom ritmo em que decorreu o espectáculo.
+ A proibição de entrada de público no decurso das lides.

– Nada a registar.

Fonte: http://bolasetetouradas.blogspot.com/2010/08/cronica-do-concurso-de-ganadarias-da.html

Anúncios

A primeira das corridas integradas nas Festas de Arruda, encheu a bem tratada e acolhedora praça na segunda-feira. O curro de toiros de Herdeiros de Conde Cabral, de apresentação muito semelhante, cumpriu de um modo geral, embora um ou outro desse mostras de mansidão.

O cavaleiro João Moura teve duas lides muito conseguidas, mesmo no seu difícil toiro que saiu em quarto lugar, no qual teve de recorrer à sua classe e experiência para cumprir a função.

Muito bem esteve o jovem João Ribeiro Telles, através de duas lides muito certas, em especial no quinto da noite, com bons curtos e dois ‘violinos’ a rematar.

O recém-alternativado Tiago Carreiras distinguiu-se na lide do que encerrou praça, marcando bem os terrenos e cravando bons curtos quando utilizou o seu cavalo ‘Quirino’, que foram muito aplaudidos.

Os forcados de Vila Franca de Xira Pedro Conceição (à segunda), Rui Godinho e Márcio Francisco (também à primeira), numa grande pega; e os de Coruche Carlos Tomás e Pedro Galamba (à segunda) com determinação e bem ajudado por José Tomás e Luís Gonçalves (à terceira) mostraram o seu reconhecido valor.

Dirigiu com a habitual competência José Tinoca, assessorado pelo veterinário José Manuel Lourenço.

Fonte: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/lazer/cultura/joao-ribeiro-telles-sobressai-em-arruda-dos-vinhos

O novo hospital de Vila Franca de Xira abre portas em 2013 e deverá servir 215 mil utentes. O contrato para a construção do novo hospital do concelho foi assinado esta sexta-feira entre o Governo e a autarquia local.

O hospital, em regime de parceria público-privada, vai substituir as actuais instalações do Hospital Reynaldo dos Santos e vai servir utentes de Vila Franca de Xira, Alenquer, Arruda dos Vinhos, Azambuja e Benavente. A unidade terá uma capacidade anual de 16 mil internamentos, oito mil cirurgias, 192 mil consultas externas e 104 mil urgências e vai ter 280 camas de internamento, nove salas de bloco operatório e 33 gabinetes de consulta externa.

Na cerimónia, o primeiro-ministro, José Sócrates, fez o elogio do Serviço Nacional de Saúde, considerando que é o serviço público “onde estão expressos dois dos valores mais importantes das democracias modernas: em primeiro lugar, o valor da dignidade humana, mas o outro valor é também importante, o valor da igualdade. Nós queremos ser iguais”, afirmou o primeiro-ministro.

Fonte: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/ultima-hora/hospital-vai-servir-215-mil-utentes

19-06-2010
16:00  › Abertura do arraial com musica gravada e da Quermesse
17:30  › Passeio Pedestre
22:00  › Baile com o conjunto “4.ª Audição”

20-06-2010
09:00  › Passeio BTT
13:00  › Almoço-convívio
16:00  › Abertura da Quermesse
17:00  › Jogos tradicionais
18:00  › Matiné com “Luís Dinis”

23-06-2010
20:30  › Sardinhada – oferta de sardinha pão e vinho
21:00  › Baile com Paulo Pereira

24-06-2010
19:00  › Missa no largo da fonte, junto ao Nicho de S. João, no Lugar da Mata

“Já estamos em contagem decrescente para aquele que será um dos mais marcantes e reveladores Encontros de Aeromodelismo de Portugal.

O evento terá lugar na pista da Arruda dos Vinhos que é a base de operações do GAAV.

Deixamos o Programa para o dia 27 de Junho de 2010:

Programa:

  • Voo de Aviões IC, Gasolina e Eléctricos
  • Voo de Helicópteros IC e Eléctricos
  • Voo de Planadores Eléctricos
  • Passagem Aérea (Cessna C152 – Aviação Ligeira)
  • Baptismos de Voo
  • Brindes para os Participantes

Programa sujeito a alterações mediante todas as condicionantes do próprio dia

A Segurança no Aeromodelismo nunca deve ser contornada, para isso recomenda-se o respeito pelas Regras e Procedimentos de Segurança ditados pela Organização do Evento.

Para mais informações não hesite em consultar o site do Grupo de Aeromodelismo de Arruda dos Vinhos: http://www.gaav.com.pt/

Fonte: http://irmaosasas.blogspot.com/2010/06/iv-encontro-de-aeromodelismo-de-arruda.html

A DI Box anunciou hoje o encerramento da sua sala de espetáculos em Arruda dos Vinhos devido à crise económica que leva o público a aderir menos aos eventos culturais.

Em nota de imprensa enviada à agência Lusa, a empresa o encerramento da sala de espectáculos, uma das quatro existentes no concelho.

A DI Box justifica a decisão tendo em conta “a difícil situação económica e financeira que o país atravessa que contrai o público”.

Além disso, a “fraca resposta de apoios não só financeiros mas principalmente institucionais e das parcerias com instituições públicas e privadas relacionadas com a cultura, as artes do espectáculo, multimédia e comunicação social” agravou a situação.

O espaço, que resultou de obras de adaptação de um antigo celeiro de 800 metros quadrados para sala de espectáculos, estúdio de pós produção, galeria de exposições, loja de artesanato, bar e restaurante, foi inaugurado em abril de 2009.

O investimento envolveu 1,5 milhões de euros.

Fonte: http://www.destak.pt/artigo/66811

09-06-2010
19:00 ›  Abertura da Feira do Livro do Externato João Alberto Faria. Jardim Municipal  
22:00 ›  Largada de touros, Ruas da Vila
00:00 ›  Animação com a banda “BENBAD”, Palco Espaço Jovem
 
10-06-2010
10:00 › Road-show para comemoração do centenário da Associação de Futebol de Lisboa
15:00 › Abertura da Feira do Livro do Externato João Alberto Faria, Jardim Municipal
16:00 › Actuação das Sevilhanas do CRDA, Palco Espaço Jovem
22:00 › Baile com “Banda Demais”, Jardim Municipal – Palco Principal

11-06-2010
15:00 › Abertura da Feira do Livro do Externato João Alberto Faria, Jardim Municipal
22:00 › Largada de touros, Ruas da Vila
00:00 › Animação com a Banda “ZEUGMA”, Palco Espaço Jovem

 
12-06-2010
15:00 › Abertura da Feira do Livro do Externato João Alberto Faria, Jardim Municipal
16:00 › Actuação do grupo popular “Pilha Galinhas”, Palco Espaço Jovem  
19:30 › Concentração das Marchas. Junto ao Externato Irene Lisboa
20:00 › Desfile das Marchas, Ruas da Vila até ao Jardim Municipal
20:30 › Actuação das Marchas, Praça de Touros.

Marchas participantes:
– Santa Casa da Misericórdia de Arruda dos Vinhos
– Centro Escolar do Casal do Telheiro
– Sociedade Recreativa Louricense
– Associação dos Bombeiros Voluntários de Arruda dos Vinhos
– Clube Recreativo, Desportivo e Cultural de Cardosas
– Clube Recreativo e Desportivo Arrudense
    
21:30 › Noite de sardinha assada, Junto à Praça de Touros
22:00 › Baile com Paulo Pereira, Jardim Municipal – Palco Principal
 
 
13-06-2010
09:30 › Jogos Tradicionais para Crianças, Jardim Municipal
15:00 › Abertura da Feira do Livro do Externato João Alberto Faria, Jardim Municipal
15:00 › Arruada da Banda de Música da Santa Casa da Misericórdia de Arruda dos Vinhos, Da Agrocamprest ao Jardim Municipal  
16:00 › Concerto da Banda de Música da Santa Casa da Misericórdia de Arruda dos Vinhos, Jardim Municipal – Palco Principal
    
17:30 › Festejo Taurino Santo António (6 Novilhos), Praça de Touros

Cavaleiros: Tiago Martins | João Maria Branco |Manuel Vacas de Carvalho
Novilheiros: Paco Velasquez – Escola de Sevilha | Cuqui – Escola de Badajoz
Miguel Martinho – Escola de Vila Franca de Xira
Forcados:Grupo de Forcados Amadores de Arruda dos Vinhos
 
Organização da “Tertúlia O Piriquita”
Entrada livre
     
21:00 › Baile com “Raul e Eu + Empregados “, Palco Principal

V Festa da Comunidade Nossa Senhora da Ajuda

Grande Tarde para os Amadores de Arruda dos Vinhos em Abanilla (Múrcia), com cinco pegas à primeira e uma à quarta tentativas…

O Grupo de Forcados Amadores de Arruda dos Vinhos encerrou-se com seis toiros da ganadaria de Prieto de la Cal, este Domingo (25 de Abril), em Abanilla (Múrcia) e o êxito foi total apesar de uma pega, a 1ª da tarde, apenas ter sido concretizada ao quarto intento com o toiro a tirar a cara nas reuniões.

O público vibrou com a actuação dos rapazes da jaqueta vermelha de Arruda, vencedores 2009 do Certame de Atarfe na categoria de forcados.

Pelos Amadores de Arruda, Sérgio Miguel consumou apenas à 4ª tentativa, e depois todos á primeira Fábio Correia, Bruno Silva, Rodolfo Costa, André Laranjinha e Pedro Sabino.

Praça de Toiros de Abanilla (Múrcia), 25 de Abril de 2010. Toiros de Prieto de la Cal.

•Sérgio Vegas – Orelha e Silêncio
•El Cartagenero – Duas Orelhas e Duas Orelhas e Rabo
•Navarro Orenes – Volta e Silêncio
> Forcados Amadores de Arruda dos Vinhos (4ª, 1ª, 1ª, 1ª, 1ª e 1ª Tentativas)

Fonte: http://bolasetetouradas.blogspot.com/2010/04/forcados-de-arruda-triunfam-em-espanha.html

A criatividade humana não tem limites, é bem verdade.

Vejam-se as ementas a concurso nesta meritória iniciativa da Câmara Municipal de Arruda dos Vinhos.

É o delírio da criatividade.

Com esta gastronomia guerreira só podemos desejar “bom proveito e poucos efeitos bélicos colaterais…”.
Para abrir o apetite:

Restaurante Nazareth

Peixe – Bacalhau à terra queimada
Carne – Lombo de porco à Napoleão
Sobremesa – Manjar dos fortes

Restaurante O Barril

Peixe – Paliçada de bacalhau
Carne – Tornedó de porco com frutos secos à moda do forte
Sobremesa – Doce da casa à barril de pólvora

Restaurante O Morgado

Peixe – Ensopado de bacalhau à forte
Carne – Pernil no forno com molho Wellington
Sobremesa – Montanha de suspiro e framboesas

* Nota: A ementa só será servida nos jantares, excepto aos Sábados e Domingos. cada prato demora aproximadamente 40 minutos na sua confecção. Entrada: caldo de caça.

Restaurante Valverde

Peixe – Bacalhau à retirada Francesa (lascado sobre uma cama de batata doce e grelos, envolvido num suave souflé de pão caseiro)
Carne – Porco à Inglesa (a peça mais nobre do porco “presa no lombo ibérico” num espeto de louro, assada em forno de lenha)
Sobremesa – Folhado de laranja com frutos do bosque

Restaurante Porta Um
Peixe – Bacalhau no forno sobre “canhoneiras” de grão, massa e enchidos
Carne – Lombinho de porco em paiol de couve salteada e cogumelos
Sobremesa – Través de chocolate e laranja

Fonte: http://linhasdetorres.blogspot.com/2010/05/arruda-dos-vinhosgastronomia-e-linhas.html