Archive for Junho, 2008


III Passeio Pedestre do Arrudense

Dia: 29 de Junho de 2008 (Domingo).

Hora de Partida: 8h30 (cedinho para evitar o calor…)
Dificuldade: Média
Duração: +/- 3h00m
Distância: 13 Quilómetros

Local de encontro: Clube Recreativo Desporto Arrudense (Sede)

Recomendações:
– Calçado apropriado.
– Comida para o passeio: sandes, barras energéticas, fruta, etc.
– Água
– Boa disposição.

Organização:
Clube Recreativo Desportivo Arrudense (Arruda dos Vinhos)

Mapa:
Ver mapa do percurso

Anúncios

A candidata representante do município de Arruda dos Vinhos, Patrícia Flausino, foi a vencedora da edição do concurso Rainha das Vindimas que pela primeira vez se disputou a nível nacional.

A disputa do “ceptro” realizou-se na noite de sábado, 14 de Junho, no auditório do Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas, (CNEMA) no âmbito do Festival Nacional do Vinho que decorreu durante a Feira Nacional de Agricultura, em Santarém.

O palco não foi uma estreia para Patrícia Flausino, que aos 18 anos encara os desfiles apenas como um hobbie. “Estou a terminar o 12º ano e gostaria de seguir medicina. As médias são muito altas, mas vou tentar”, disse.

Rute Mateus (Bombarral), Sara Bilro (Redondo), Raquel Martins (Cartaxo), Vanessa Ferreira (Palmela), Melanie Vicente (Torres Vedras), Cristina Ferreira (Santarém), Alexandra Domingos (Cadaval) e Ana Baltazar (Borba) foram as participantes de um concurso que tem como principal objectivo prestigiar a beleza das candidatas, mas também avaliar os seus conhecimentos sobre a vinha e o vinho. A organização foi da Associação de Municípios Portugueses do Vinho (AMPV).

Fonte: http://www.omirante.pt/index.asp?idEdicao=51&id=22532&idSeccao=422&Action=noticia

Fonte: http://www.jstor.org/pss/3046628

Vinho de Arruda nos EUA

Vinhos de Arruda nos EUAFonte: http://books.google.com/books?id=h4TIrq4MJ9QC&pg=PA75&lpg=PA75&ots=zN1K4RkLKn&dq=arruda+dos+vinhos&hl=pt-PT&output=html&sig=HECHoxOUEiipBqOl0vCYkgwKQtw

Atravessando o Jardim Municipal, encontra-se a praca de toiros de Arruda. Antes desta existiu uma outra praça de madeira, mas os sinais da sua existência diluiram-se no tempo. Apenas uma ou outra velha foto testemunham a sua existencia. A actual praça foi inaugurada no ano de 1925, cuja construção foi impulsionada pela então chamada Uniao Tauromáquica Arrudense – sociedade anónima registada a 10 de Outubro de 1922, no Cartório Notarial de Arruda. A União teve como fundadores: Jose Vaz Monteiro. Armando Munhoz Bastos da Fonseca, Joaquim Jose de Azevedo e Silva, Armando Augusto de Azevedo e Silva, Antonio Alexandre Luiz Louro, Augusto da Silva Nunes Guedes, Salvador Alexandre Leal, Feliciano Augusto de Mendonça, Augusto Vaz Monteiro, Tito de Bourbon e Noronha, Antonio Bernardo de Miranda, Diniz Martins Coelho Lobo, Joaquim Soares e Inácio do Nascimento (representante da Camara Municipal). Nos estatutos da União Tauromáquica Arrudense, lê-se: “Os fins são manter uma praça de toiros em terreno para esse fim, cedido pela Camara Municipal, no campo da feira. Prover o seu acabamento e a sua conservação e explorando-a quer directamente, quer por cedência a outra entidade, constando que se salvaguarde a realização anual de duas corridas tauromáquicas por ocasião da feira anual de Junho e uma por ocasião da festa de Agosto, nesta vila quando se realizarem.” (…) “A sociedade deverá por tempo indetermina-do e enquanto puder, manter a praça em estado da realizacao de corridas tauromáquicas.” (…) “O capital social é de treze mil e oito-centos escudos, constituido por acções de dez escudos cada uma, podendo haver titulos de uma, cinco, dez, vinte, cinquenta e cem acções. O capital poderá ser ampliado se se reconhecer insuficiente para o acabamento da praça de toiros.” (…) “Haverá uma direcção e um concelho fiscal, aquela de cinco membros e este de três membros, eleitos de entre os sócios e servindo por três anos.”

Entretanto, como proprietária, a Camara Municipal reconstruiu a praça no ano de 1961, passando a ter capacidade para 2790 espectadores. Era então presidents José Marques Simões. Apesar de hoje muitos aficionados desconhecerem, pois não está identificada, a praça passou a levar o nome de “José Marques Simoes”. Embora não existam registos do cartel inaugural, sabe-se apenas que a corrida da reinauguração – a 24 de Setembro – presidiu o Dr. Osório Vaz, Governador Civil de Lisboa. A então revista anual “Vida Ribatejana” acompanhou a corrida: “Praça à cunha! Lidaram 8 bravos toiros do sr. Julio Borba, os cavaleiros João Núncio, D. Francisco de Mascarenhas e David Ribeiro Telles e os amadores José Samuel Lupi, José Barahona Núncio e José Maria Cunha e Carmo; os espadas Marcelo Acosta, mexicano, Eduardo Abularach, da Guatemala, e o vilafranquense Joaquim Barroca. O Grupo de Forcados Amadores de Santarém, capitaneados por Rhodes Sérgio, pegou os toiros destinados à lide a cavalo. Foi uma boa tarde de toiros, a de 24 de Setembro de 1961, na nova praça de Arruda dos Vinhos.”

Actualmente, as tradicionais datas taurinas estao integradas na festa maior da terra – 16 e 17 de Agosto. Pelo tauródromo arrudense já passaram as principais figuras nacionais do toureio a cavalo e do toureio a pé. Os espectáculos são agora maioritariamente corridas à portuguesa. De novo, transcrevendo a revista vilafranquense (decada de 60): “No referido tauródromo tem-se exibido grandes figuras do toureio e sempre os aficionados arrudenses as apreciam devidamente, não deixando de exteriorizar o seu agrado quando artistas de menor categoria ou simplesmente amadores, ali vão animar os espectáculos taurinos. Foi na praça de Arruda dos Vinhos – não se esqueceram mais os aficionados – que, há anos, se desenrolou a tragédia em que perdeu a vida o saudoso aficionado e forcado amador de grande categoria, o infortunado Laurentino Pereira. Ao fazer uma rija pega que muito entusiasmou a assistência, uma bandarilha soltou-se do morrilho do toiro e cravou-se-lhe no pescoco, cortando-lhe as carótidas! Foi um dia de luto para a aficion portuguesa e para Arruda dos Vinhos. O triste caso deu-se tambem por ocasião das festas de Agosto, que logo terminaram. Ninguém mais teve vontade de se divertir. Ainda hoje em Arruda se recorda com amargura o lutuoso acontecimento. 0 ano passado, além da corrida, houve uma largada de toiros, que deu ocasião a uma manhã de vivo entusiasmo nas principais ruas da vila, registando-se até o pitoresco caso de um dos bovinos cair no tanque do seu grande chafariz e ali ser alvo duma pega aquática (…) Outras peripécias se presenciaram, e o povo diverte-se a valer. Ou nao fosse Arruda dos Vinhos uma terra onde a festa brava sempre teve o melhor dos acolhimentos, terra amiga e vizinha que não deixa morrer as suas tradições.”

Pela praça de Arruda também já passaram inumeras empresas: Alberto Moreira; José Vidal Guerra; Valério A. Salgueiro; Alfredo Ovelha, Lda.; Segarra Espectáculos, Lda.; Empresa Taurina Courage, Lda.; João António de Carvalho Mascarenhas; José Lino; Organizações Taurinas “3 Tércios, Lda.”; Carvalho e Coutinho; Carvalho, Lda.; José Agostinho dos Santos; V.R S Associados, Lda. e, últimamente, o Clube Tauromáquico Arrudense.

A praça “José marques Simões” é hoje uma referência no mês de Agosto!

Fonte: http://opiriquita.no.sapo.pt/pracadetoiros.html