Archive for Março, 2007


O dia prometia, um Sábado fabuloso, o sol brilhou de manhã à noite, esse brilho durou horas, principalmente para um menino, e respectiva família, de seu nome Gonçalo.

A música foi muita, tudo começou à hora do almoço e findou pela noite fora. A “casa” uniu-se e mostrou que as gentes da Arruda são solidárias, tal como todo o povo português.

Havia chegado a hora, a nossa hora, aquela que mais uma vez, como tantas outras Tunas, íamos dar a conhecer o carácter social e sensível que todos nós partilhamos neste nosso “Mundo”.

22h e 30 min – As vozes libertam-se, o sorriso e a alegria enchem a sala(apesar das condições menos boas do sistema de som), a causa é nobre e a felicidade de todas as pessoas envolvidas, eram o mote mais que suficiente para um belo dia de actuação e de convívio com os ínumeros artistas, em conjunto esperamos ter proporcionado aquilo que todos esperam para o Gonçalo, o SUCESSO e a ALEGRIA de um menino, que cada sorriso que dirige, nutre uma enorme fragilidade e inocência perante as circunstâncias da vida.

Para todos, voltamos a frisar, FORÇA e MUITA FELICIDADE para o Gonçalo, familiares e amigos. Contem com a Iscalina para tudo, tanto o Gonçalo como todos as pessoas que precisam de nós.

Com as maiores saudações académicas nos despedimos,

Tuna Iscalina

Fonte: http://www.portugaltunas.com/default.asp?sec=1&n=1874

Anúncios

No próximo dia 31 de Março realiza-se, no Pavilhão Multiusos de Arruda dos Vinhos, uma grande festa de solidariedade a favor de Gonçalo Santos, uma criança Arrudense que sofre um atraso no desenvolvimento devido a lesões cerebrais graves.

O Gonçalo tem feito ciclos de tratamento em Cuba, no CIRENE (Centro Internacional de Recuperação Neurológica), com vista a apostar na estimulação das zonas não lesionadas do cérebro para que elas possam tentar, de algum modo, colmatar a falta das outras e o Gonçalo consiga adquirir o maior número de competências básicas, o que só se consegue com tratamentos intensivos.

Neste momento o Gonçalo já revela alguns progressos, controlando mais os movimentos involuntários, já se mantém sentado sem ajuda por alguns segundos e já mastiga e brinca.

Cada ciclo de tratamentos tem a duração de 28 dias com 7 horas de terapia diária e custa cerca de 10.000€.  

As lesões que o Gonçalo tem no cérebro só podem ser minoradas com muita terapia e este é o momento certo para se dar continuidade ás sessões, pois o seu cérebro esta a amadurecer.

Para possibilitar ao Gonçalo a continuação dos tratamentos, um grupo de entidades de Arruda dos Vinhos está a organizar uma grande iniciativa de solidariedade que terá início pelas 13.00h e se prolongará até à 01.00h, e que contará com a actuação de diversos grupos e artistas.

contará com a actuação de diversos grupos e artistas.

13.00h Almoço
15.15h Fanfarra Bombeiros Voluntários
Clube de Teatro do Externato João Alberto Faria
16.00h Micaela
Rancho Folclórico Podas e Vindimas
16.30h Rancho Folclórico “As Cerejeiras” de Fetais
Danças de Salão do Rancho Folclórico Podas e Vindimas
17.00h Hip-Hop e Sevilhanas do C.R.D.A.
Beautiffull
17.30h Demonstração de Kenpo -Secção de Kenpo do CRDA
17.45h Marcha das Escolas de Arranhó
18.00h Tucha
18.15h In’Previstus
Eduardo Santana
18.30h Música Popular de Soc. Fil. Alverca
18.45h Alex
Valentim Matias
19.00h POP XXI
19.15h Os Bem Entendidos de Arranhó
19.30h Acórdeon de Raúl Godinho
19.45h Acórdeon de Sofia Henriques
20.00h Tuna Iscalina
20.15h Sketch “Arruda em Revista II”
20.30h Raúl e Eu
20.45h Diogo Ferreira (Fado)
21.00h Matilde e Abílio (Fado)
Nuno da Câmara Pereira
21.30h João Marcelo
Nucha
22.00h Ricardo e Henrique
Ana
Estado Espírito
22.30h Sónia Oliveira
23.00h NOMAD
23.30h FRIENDS
24.00h WOK
00.30h Vagas

As inscrições para o almoço e os bilhetes para o espectáculo estão à venda, até 25 de Março, nas Juntas de Freguesia, Posto de Turismo de Arruda dos Vinhos e Paróquias do Concelho. Poderá também adquirir o seu bilhete no dia do evento na bilheteira do Pavilhão Multiusos.

Esta é uma organização conjunta da Câmara Municipal de Arruda dos Vinhos; Juntas de Freguesia de Arruda dos Vinhos, Arranhó, Cardosas e S. Tiago dos Velhos; Associação dos Bombeiros Voluntários de Arruda dos Vinhos; Centro Social da Freguesia de Arranhó; Centro Social da Freguesia de S. Tiago dos Velhos; Rádio Vida; Rancho Folclórico Podas e Vindimas e Santa Casa da Misericórdia de Arruda dos Vinhos e conta com o apoio de todas as associações e colectividades do Concelho, do comércio local, de todos os artistas e grupos participantes e da Sociedade Portuguesa de Autores.

Fonte: http://www.cm-arruda.pt/News/newsdetail.aspx?news=4923901d-d27f-4a46-88e0-e34bd1c2a7ba

“Vila e sede de concelho, Arruda dos Vinhos é centro de uma importante região vinícola. A freguesia do mesmo nome dista 36 quilómetros da cidade de Lisboa.

Não pode determinar-se com exactidão a data de fundação da vila de Arruda dos Vinhos. É pelo menos anterior à própria Nacionalidade, pois foi conquistada aos mouros por D. Afonso Henriques, em 1160. Pertenceu Arruda ao Mestrado da Ordem de Santiago, e lá existiu um convento de freiras, doado em 1175 à referida Ordem a fim de ali se recolherem as mulheres dos freires leigos, quando se ausentavam a combater os mouros. Essas freiras, por esse facto, recebiam o nome de Comendadeiras de Santiago. Mais tarde foram transferidas para o convento de Santos-o-Velho, em Lisboa.

Em 1384, D. João de Castela resolveu repousar numa habitação da vila quando se dirigia a Lisboa com o intuito de conquistar a cidade e, seguidamente, dominar todo o País. Ao entrar, porém, no aposento que lhe haviam destinado para pernoitar, deparou com dois homens de espadas e punhais, escondidos debaixo da cama preparados para o aniquilar. Esta proeza heróica é-nos contada pelo próprio Fernão Lopes nas suas admiráveis crónicas.

As serras situadas ao sul e a oeste da vila de Arruda dos Vinhos fizeram parte das célebres Linhas de Torres, organizadas por Wellington. Ainda hoje há vestígios dessas fortificações, sendo as que mais perto se encontram da vila os redutos de S. Sebastião, Carvalha e Moinho do Céu.
A igreja matriz, reedificada de 1528 a 1531, apresenta poucos vestígios da traça original. Na fachada, muito simples, avultam o portal, manuelino, enquadrado por pilastras com elementos decorativos renascença, e a torre sineira, do século XVI. O interior é de três naves, sendo os arcos de volta perfeita e aresta chanfrada. As colunas têm o fuste curiosamente esculpido a meio com um anel decorativo e interessantes capitéis. A capela-mor, profunda e com abóbadas de berço, encontra-se ladeada por duas absidíolas com abóbadas de cruzaria. As naves, a capela-mor e uma outra pequena capela são revestidas de azulejos do século XVIII, onde se distinguem cenas da vida de S. Cristóvão e de S. Francisco. Guardam-se no templo um grande retábulo de talha barroca e algumas boas pinturas do meado do século XVI de um antigo retábulo.
À entrada da vila, do lado de Alhandra, encontra-se um chafariz de três bicas, datado de 1789 e decorado ao gosto barroco. Sob o frontão estão esculpidas em relevo as armas de Portugal. O conjunto é encimado por pináculos. Na entrada norte da vila existe um busto da escritora e pedagoga Irene Lisboa, uma das mais destacadas figuras do concelho de Arruda dos Vinhos.”

Fonte: http://www.distritosdeportugal.com/lisboa/arruda_dos_vinhos/index.htm