Archive for Março, 2010


“Gazeta de Lisboa”, 1832, Número 58

 

“Gazeta de Lisboa”, 1832, Número 21

“Gazeta de Lisboa”, 1832, Número 33

“Gazeta de Lisboa”, 1832, Número 56

“Gazeta de Lisboa”, 1832, Número 58

“Gazeta de Lisboa”, 1832, Número 72

“Gazeta de Lisboa”, 1832, Número 135

Fonte: http://books.google.pt/books?id=4lAZAAAAYAAJ&dq=arruda+dos+vinhos&lr=&as_brr=1&source=gbs_navlinks_s

Anúncios

Fonte: http://books.google.pt/books?id=YGYuAAAAYAAJ&dq=arruda+dos+vinhos&lr=&as_brr=3&source=gbs_navlinks_s

Fonte: http://books.google.pt/books?id=PbhAAAAAMAAJ&source=gbs_navlinks_s

"Relógios Falantes", D. Francisco Manuel de Melo, 1654

"Relógios Falantes", D. Francisco Manuel de Melo, 1654, capa

"Relógios Falantes", D. Francisco Manuel de Melo, 1654, Pág. 20

"Relógios Falantes", D. Francisco Manuel de Melo, 1654, Pág. 20

 

Fonte: http://www1.ci.uc.pt/celga/membros/docs/evelina_verdelho/os_relogios_falantes.pdf

"A Visita Das Fontes", D. Francisco Manuel de Melo, 1657, Capa do Livro"A Visita Das Fontes", D. Francisco Manuel de Melo, 1657, Pág 265"A Visita Das Fontes", D. Francisco Manuel de Melo, 1657, Pág. 564

Fonte: http://books.google.pt/books?id=URhxSzKOEZoC&printsec=frontcover&source=gbs_v2_summary_r&cad=0#v=onepage&q=arruda&f=false

Realizou-se em Arruda dos Vinhos o IV Festival Taurino da Tertúlia “O Piriquita”, anunciava-se um cartel bastante atractivo mas o publico assim não o entendeu, e nem o anuncio de algumas figuras importantes do toureio a pé Espanhol tiveram força suficiente para levar o público desejado á praça de toiros da Arruda.

El Fundi recebe a gosto com o capote, e na muleta consegue alguns momentos de importância sem no entanto conseguir uma faena com ligação, era necessário que o toureio colocasse um pouco mais de si, pois o toiro queria e permitia mais.

António Ferrera foi o triunfador da tarde no que á parte apeada diz respeito, com a garra que todos lhe conhecemos, conquistou o público nos três tércios que executou, ouvindo grandes aplausos no tércio de muleta, com profundas séries de naturais.

Alejandro Amaya traçou uma lide de menos a mais, em que conforme ia entendendo o novilho, assim lhe ia imprimindo a lide adequada e a coisa resultou numa lide bastante interessante por parte deste toureiro.

Paço Velásquez, pouco teve a fazer nesta tarde face ao oponente que lhe tocou, ficamos a aguardar uma nova oportunidade para ver este toureiro, pois hoje não a teve.

Joaquim Bastinhas teve uma lide regular, sem deixar de ser agradável.

Luís Rouxinol toureou com garra e saber o novilho que lhe tocou, executou sortes de grande valor, terminando com o seu habitual par de bandarilhas.

Tiago Carreiras deu cartas na brega de que é grande executante, assim como na cravagem de ferros curtos de grande nota, mostrou estar em forma para a temporada que se avizinha, e que os seus triunfos não são apenas fruto do Quirino.

Os novilhos de Ascensão Vaz, cumpriram na generalidade.

Pegaram os Forcados Amadores de Arruda dos Vinhos, á segunda, primeira e terceira tentavitas, de destacar a segunda pega da tarde executada pelo forcado Rodolfo Costa.

Dirigiu com acerto o Exmo Sr Ricardo Pereira, coadjuvado pelo Médico Veterinário Jorge Moreira da Silva.

Fonte: http://bolasetetouradas.blogspot.com/2010/03/tarde-agradavel-em-arruda-dos-vinhos.html

A DIA, a que a Agência Lusa teve acesso, foi emitida, ainda que condicionada, ao parecer favorável da Reserva Agrícola Nacional e a um plano de intervenção paisagística, destinado a salvaguardar e repor toda a vegetação na área a ser intervencionada, e de melhoria dos habitats.

O projeto de regularização está previsto para o troço entre o Carregado, concelho de Alenquer e Castanheira do Ribatejo (Vila Franca de Xira) e destina-se a «minimizar a probabilidade de ocorrência das cheias», referia o estudo de impacto ambiental.

A intervenção é uma das previstas no âmbito do projeto de construção da Plataforma Logística de Castanheira do Ribatejo, um investimento de 370 milhões de euros do grupo espanhol Abertis.

A construção da plataforma vai implicar, entre outros trabalhos, movimentações de terras do 1,6 milhões de metros cúbicos, a regularização de três linhas de água e a reparação e beneficiação dos órgãos de proteção do dique direito do Rio Tejo.

A DIA estabelece ainda como condicionantes a existência de planos de monitorização da fauna e flora, a construção de estruturas para dar continuidade à pesca recreativa na zona e a relocalização de uma unidade de restauração acompanhada de medidas de compensação.

O documento propõe medidas de minimização e compensação dos impactos causados pelas obras, tais como a redução ao mínimo da deslocação de máquinas e das ações de desmatação e de movimentos de terra, assim como a recuperação paisagística na área intervencionada para evitar a erosão futura.

A DIA sugere também que a câmara de Vila Franca de Xira avance com a demolição de edificações ilegais e que tome medidas no sentido de contrariar a expansão urbanística junto às margens do Rio Grande da Pipa.

O leito do rio «vai ser mantido», estando prevista a colocação de pedras nas suas margens para servir de taludes, protegendo-as da erosão.

A ponte rodoviária, entre o Carregado e a Vala do Carregado, vai ser demolida e construída uma nova, sem a colocação de pilares de suporte dentro do rio para impedir a acumulação de lixo que possa impedir a normal circulação do caudal do rio em situações de maior precipitação.

A «irregularidade das margens» do rio, provocada pela erosão, e a existência de «pilares de viadutos» são as causas apontadas para as constantes inundações na região abrangida pela Bacia Hidrográfica do Tejo.

Fonte: http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=114&id_news=439272&page=0

El diestro Enrique Ponce volverá a organizar, un año más, el festival a beneficio de la Asociación Española Contra el Cáncer de Jaén, que en esta ocasión se celebrará el sábado 17 de abril, según publica El Ideal.

El cartel del festejo está compuesto por el rejoneador jienense Álvaro Montes, los diestros Manuel Cruz ‘Morenito de Jaén’, Enrique Ponce, El Fandi, Sebastián Castella, Salvador Vega y el novillero Miguel Hidalgo, con novillos de Zalduendo. Entre las novedades, la presencia de ‘Morenito de Jaén’, quien tomó la alternativa en su plaza natal hace ya más de 25 años.

FUNDI, FINITO Y FERRERA, EN ARRUDA DOS VINHOS
Otro festival tendrá lugar el 13 de marzo en la localidad portuguesa de Arruda dos Vinhos. Se lidiarán siete novillos de Ascensão Vaz para los matadores de toros El Fundi, Finito de Córdoba y Antonio Ferrera, así como los caballeros Joaquim Bastinhas, Luis Rouxinol y Tiago Carreiras, así como el novillero Paco Velásquez. El festejo ha sido organizado por la Peña ‘O Piriquita’ y contará con la presencia de los Forcados de Arruda dos Vinhos.

Fonte: http://www.burladero.com/noticias/009703/enrique/ponce/vuelve/organizar/festival/cancer/jaen

Integrado nos Festejos em Honra de Nossa Senhora da Salvação, em Arruda dos Vinhos, terá lugar, no dia 10 de Agosto, pelas 19h30, uma recriação histórica intitulada “Arruda dos Vinhos e as Invasões Francesas”, a que se seguirá a inauguração da exposição “Arruda na Rota das Linhas de Torres”.

A recriação histórica e a exposição terão lugar no centro Cultural do Morgado, localizado no centro da Vila.

«A nossa longa retirada terminou à meia-noite, com a chegada à pitoresca vila da Arruda, que estava destinada a ser o posto de piquete da nossa Divisão (Divisão Ligeira) defronte das Linhas fortificadas. Tal como todos os lugares da linha de marcha, encontrámo-la totalmente deserta, e os seus habitantes tinham fugido com tamanha pressa, que os únicos objectos que levaram consigo foram as chaves das portas das suas casas.»

Este expressivo excerto das memórias do capitão inglês John Kincaid, retirado do livro «Aventuras na Brigada da Espingarda» (1830), faz evocar o ambiente que se vivia em Arruda durante a permanência de franceses e ingleses na nossa região.

Com efeito, podendo não ter sido palco de alguma batalha que tenha protagonizado um virar da página naquele momento particular da História de Portugal, Arruda foi local de confluência dos dois exércitos, aquando da 3.ª Invasão Francesa a Portugal. Foi aqui, na madrugada de 15 de Novembro de 1810, que as tropas de Massena iniciaram a retirada, abandonando as suas posições, rumo a Santarém, onde viriam a passar o resto do Inverno.

Arruda dos Vinhos, Loures, Mafra, Sobral de Monte Agraço, Torres Vedras e Vila Franca de Xira possuem estruturas militares na 1.ª e 2.ª linhas defensivas de Lisboa. Tendo em vista a recuperação e divulgação deste património ímpar, estes seis municípios efectuaram uma candidatura conjunta ao Mecanismo Financeiro Europeu.

Com o objectivo de marcar o início do trabalho efectivo de investigação, preservação e valorização do património material e imaterial associado à construção da Linha Defensiva de Lisboa (Linhas de Torres), no território do concelho, o Município de Arruda dos Vinhos decidiu levar a efeito a presente exposição temática.

 Fonte: http://www.oesteonline.pt/noticias/noticia.asp?nid=16806